9 de dezembro de 2018

Menina

          I
Menina do cabelo azul
Essa cor da tualma
Mostras tua cor ao mundo
Pintando de céu mais alto

Menina fizeste um piercing?
Gesto de indignação? Enfeite?
Na dor, deleite?
No ser humano cabe tudo isso?

Menina e essa tatuagem?
Não vês que assim ficas à margem?
Sentada nesse quieto banquinho
Fazes do horizonte longínquo tua miragem

          II
Menina não rias tão alto
Nem rias quando te apetece
Não vês que é impróprio

Não sei...

Talvez desrespeito por quem padece

Menina, menina
Faz o que te estou dizendo!
Não vês que cá ando,
que tu, há muito mais tempo?

Menina, menina !
Vai por esta estrada!
Menina, menina!
Faz assim, faz assado!

Meninaaaaaaaa! (grito)
Por onde vais? (grito)
Esse caminho é desconhecido! (grito)
Não vês? Vê lá se cais! (grito)

(longo silêncio)

Sever do Vouga, 9 de Dezembro de 2018

18 de novembro de 2018

A Jenna Jameson e a Bruna Surfistinha

(...)
Bruna Surfistinha: ...mas você não vê que o que você faz é errado? Você não vê?

Jenna Jameson: Eu tenho dinheiro, eu tenho admiração, eu sou a melhor, eu ganhei muitos prémios, eu sou muito importante, eu posso comprar tudo o que eu quiser, eu posso comprar tudo o que me apetecer... Inclusive eu tenho um quadro caríssimo, de um pintor famoso, que vale milhões.
Eu sou a melhor, eu sou especial, não me falta nada.
Posso ter tudo, não vês?
Não falta nada aos meus filhos, os meus filhos podem ter tudo...

     Óh Bruna eu acho que você tem inveja... Eu acho que você queria ter tudo o que eu tenho, eu acho que você é muito infeliz. Eu acho que você não é tão feliz quanto eu e por isso você tem inveja... Por isso você aponta seu dedo para mim, porque você tem inveja de minha felicidade e de eu poder ter tudo o que eu quiser, isso é que é !! Você não é feliz e eu sou!

Bruna Surfistinha: Meu pai nunca me aceitou e eu tive que fugir de casa, muito cedo, tive que me virar. Carrego um buraco dentro de mim e a única forma de me aliviar é com o amor dos homens. Amei todos os homens que tive. Cada um deles. É o amor dos homens que me sustém.
... A minha filha é o que eu tenho de melhor, não há nada melhor do que este amor que nos une.
É tão de verdade e eu quero ensinar para ela tudo o que aprendi, quero amá-la, quero partilhar a minha vida com ela. Eu nem tenho palavras para expressar o que sinto, porque é tão maravilhoso. No fundo uma parte de mim é feliz e a outra parte de mim, não, mas eu continuo a procurar, a procurar da única forma que conheço...

     Sabes o que eu acho Jenna? Eu acho que você está embriagada de você própria, é isso...
Acho que você não se enxerga e esse é o seu maior problema e como você não tem nenhuma relação de verdade com ninguém, nem com você própria, você nunca vai ter um amigo que lhe diga as verdades. E também não vejo você com condições de se enxergar por si mesma. Eu acho que você está perdida e eu tenho pena de você.
Eu tenho mais pena de você do que de mim, porque você não se enxerga sequer e tão pouco tem condições para isso. Eu desejo, com toda a sinceridade do meu coração, que você um dia seja feliz.

~ riso ~

(rio para mim mesma)

Engraçado, como as coisas podem ser, é muito engraçado, porque se você escutasse eu falar isso:

"Eu desejo, com toda a sinceridade do meu coração, que você um dia seja feliz"

Eu acho que você iria entender tanto como se eu dissesse o meu nome completo em chinês.

(fazer uma imitação, às três pancadas, de uma frase em chinês)

Engraçado como as coisas podem ser... a vida é mesmo algo extraordinário. A vida pode ser tanta coisa, a vida pode ser o que nós quisermos... A vida é tão maravilhosa, porque a vida está ao serviço do ser humano. O ser humano pode fazer o que quiser da vida e por incrível que pareça, o ser humano não consegue fazer algo que o faça feliz, verdadeiramente. Porque é que as pessoas não são felizes verdadeiramente? Já que a vida pode ser o que nós quisermos..

A vida apenas devolve...

E você? Você é feliz verdadeiramente? Ou já deixou de acreditar nisso?

7 de novembro de 2018

~ Associação Vintém ~

Sou sócia da ~Associação vintém~
Associada número mil e cem
Somos um grande grupo de amigos
Que não deve nada a ninguém!

O Pelintra queria ser rico
Para se sentir alguém
Ter um grande maço de notas
Para acender a lareira

O Pé de Chinelo chegou descalço,
Acho que ele nem liga p'ra isso
Só queria ter um pouco mais
P'ra pagar o fiado do chouriço

O Remediado é o mais rico daqui!
Tem pouco, mas não lhe falta nada.
Simples. não tem grandes luxos
E é feliz assim...

O outro, ao lado dele
Até mais remediado é,
Mas sente-se pobre,
Porque só pensa em ter

O Miserável fica à porta
... são muitas as penas da cruz.
O que lhe falta não são notas
Por isso vive mendigando Luz

E o Cego, coitado!
Para além de não enxergar
Ainda tem que dançar...
Já não lhe bastava seu natural pesar

E o Teso, também, coitado!
Parece que nem tem articulações...
De cada vez que o chamam,
Porque só tem tostões

Aqui, na ~Associação Vintém~
Cabe muita, muita gente...
Cada um dá um pouco do que tem
E todos se sentem alguém!

Aqui, na ~Associação Vintém~
Só uma regra vigora:
Ter amor no coração
Se não fica do lado de fora

Um ou outro vai embora.
De vez em quando acontece
Não que fiquem ricos
... é antes um coração que escurece

E digo, com muito agrado
E o peito inundado de Luz
Temos mais do que um associado:
Notas no bolso...
                ... sobre a cabeça um halo de Luz!

Como disse: aqui há espaço para todos
Menos para os ladrões
Temos alguns com notas
Mas de certeza...
               ... ninguém com milhões!

~ 6/11/2018 ~

A Vida, a Morte e o Senso comum

(...)
Senso comum: Realmente a morte é uma cena dos caraças!

Eu: Opá, pois é! É mesmo do caraças!

Senso comum: Já viste!... Consegues imaginar o que é perderes um ente querido?... Para sempre... Acho que deve ser uma dor, uma saudade inimaginável e, é uma situação que, cada um de nós, mais cedo ou mais tarde, vai experimentar. Eu não quero nem imaginar...

Eu: Pois, mas para mim a morte tem contornos diferentes, um pouco, ela veste outras roupagens e causa outros medos...

     Tenho pessoas muito próximas de mim, pessoas que me são referenciais, porque quem nos dá a vida é sempre referencial: a única vida que me deu foi a física... De resto só me dá morte e atenção que eu estou muito agradecida por me ter dado a vida física, mas quem deseja a morte só tem para oferecer... morte. Não é? Faz sentido.
   
     Fico ofendida, porque como eu gosto muito da vida eu gosto de partilhar vida com as pessoas que amo. Não aceito a morte e muito menos irei partilhar a morte! Percebes? Não é muito fácil de compreender, mas é isto que eu sinto...

     Mesmo com os mortos nunca irei partilhar a morte. Para tu veres como a morte me é familiar: tive/ tenho pessoas muito próximas que se serviram da morte por nela verem a vida. Percebes? Pessoas que se mataram... E não foi só uma!! Foi um pai e um filho, foi um avô e um tio, foi um marido e um irmão, foi muita gente que achou que a vida era a morte!
Muita gente morta que morreu. E eu, como os amo a todos, espero sinceramente que a morte lhes tenha trazido o que desejavam.

     Mas também amo pessoas que estando elas vivas, ao mesmo tempo estão mortas. Tão mortas como os próprios mortos... Mais mortos ainda, porque eu acho que há mortos que estão mais vivos, dentro do coração dos que amam/ amaram, do que certos vivos.

     Por isso, meu querido amigo, eu tenho vida que me corre nas veias, mas também tenho morte...

     Agora já sabes como se combate a morte?
(...)

~ 16/10/2018 ~

20 de outubro de 2018

Sempre

I
sempre irei repensar
sempre irei recomeçar
não tenho medo de mudar

sempre me irei refazer
sempre me irei reconstruir
eu tenho medo de cair

e nesta dança sem fim

eu vou me achando

qual salteador
procurando seu tesouro
em ilhas longínquas

eu vou me tecendo

qual tecelão
vivendo e sonhando
solitário no deserto

eu vou me surpreendendo

qual sonhador
vivendo acordando
no seu sonho imaginado

II

vou te encontrando

e eu vou me encontrando
num lago da montanha

teus olhos límpidos
são meu reflexo
em promessas de amor

vou te descobrindo

e eu vou me descobrindo
nas árvores de outono

meus olhos claros
iluminam teu colorido
caleidoscópio das estações

vou te sentindo

e eu vou me sentindo
como a chuva do inverno

meus braços arrepiados
choram lágrimas por uma carícia
de um abraço que aconchega

vou me reconstruindo
vou me reconstruindo

o nascer do sol na serra
é meu peito ardente
consagra-se o fogo da esperança
consagra-se o fogo da fé


Caramulo, 26 de Novembro de 2015


Inacreditável

Imagem daqui

não seria inacreditável
para alguém livre
a permanente dor asfixiante
que o ser humano pode sofrer
?

e,também...

não seria inacreditável
para alguém a definhar
a plenitude da felicidade
que o ser humano pode alcançar
?

quero ter muita fé
tanta
...
quanta a que é necessária
para querer o que desconheço

quero ter muita lucidez
tanta
...
quanta a que é necessária
para querer ser louca
...

Campo de Besteiros, 1 de Junho de 2015

23 de setembro de 2018

A Tailândia e o Deserto

Vou à Tailândia
Fazer uma tatuagem
Como a Blaya
Fez essa viagem

Foi feita por um mestre
Se calhar zarolho
Se calhar desdentado
Mas que está em todo o lado

Daqueles tais
Que ainda não cheguei lá
E ele já sabe de mim
Apesar de ele lá e eu aqui

Depois

Quero ir ao deserto
Minha casa
De todos os dias
Mesmo nos dias frios

Apenas eu
E a infinitude
Frenesim de areia
E solitude

O vento é meu amigo
Seja uma leve brisa
Seja uma forte tempestade
Ele vem e eu abraço-o

Afinal de contas
Não é tão bom
Uma pessoa
Sentir-se em home?

Cristina, 19 de Setembro de 2018