28 de março de 2018

Série Deserto - IV

      Deserto de Mil Estrelas
Sol abrasador-escaldante
Secura-suja-aridez
Longo horizonte fervilhante
Pele negra-dorida-crespa

Passos cansados-arrastados
Cabelos sujos-desgrenhados
Corpo deambulante, a imagem
Sombra, a companhia d'uma miragem

Noite de gelo e solidão
Apenas o céu para me acompanhar
Escuro d'um breu e imensidão
De estrelas lindas a brilhar

Insisto para elas me acompanharem
Nesta jornada de tanta dor
Tão bem sabem elas quanto eu
Aqui a vida é dura e sem amor

Nunca me esqueço delas
Alento-consolo, meu alimento
Sua luz me mantém de pé
Olhar pró céu renova a minha fé

Penas duras as deste lugar
Sofrimento-abandono num esgar
No meu peito carrego esta luz
Que suaviza as penas de qualquer cruz

Cristina, 10 de Março de 2018

"Dizem que, na vida, quem perde o telhado ganha as estrelas. É assim mesmo. Às vezes você perde o que não queria, mas conquista o que nunca imaginou. Tudo depende de uma atitude"_Algures pelos facebook's

Sem comentários:

Enviar um comentário